Últimas notícias

Polícia Civil esclareceu mais de 80% dos homicídios no Pilar em 2020

 


Um dos municípios alagoanos que já foi marcado como sendo um dos mais violentos do país vive um novo momento. A cidade do Pilar, na região metropolitana de Maceió, vem passando por uma forte repressão aos crimes de homicídio nos últimos anos e esse trabalho foi intensificado em 2020, quando a Polícia Civil esclareceu mais de 80% dos crimes violentos letais intencionais e prendeu 15 homicidas.

Em balanço divulgado nesta sexta-feira (08), o delegado do Pilar, Sidney Tenório, destacou que desde que assumiu o comando da distrital, todos os homicídios ocorridos foram esclarecidos e seus autores estão presos ou com a prisão preventiva decretada. “Assumimos no dia 1º de julho e nesses seis meses houve nove homicídios, uma média bastante positiva se pensarmos nos números apresentados no passado pelo município de Pilar. Mas, o trabalho desenvolvido vai gerar frutos para números ainda melhores em 2021”, frisou.

Segundo Sidney Tenório, no início de novembro, a média era de 80% de homicídios esclarecidos em 2020. Ocorreram outros dois homicídios, cujos autores já foram identificados e estão com a prisão decretada. “A resposta tem sido rápida, com a identificação e representação por prisão em 48 horas. Quando temos um CVLI na cidade, toda a equipe foca em esclarecer em tempo recorde para não gerar sensação de insegurança”, destacou.

A maioria dos homicídios ocorridos no segundo semestre, explicou o delegado, foram casos não relacionados com o tráfico de drogas, mas crimes ocasionais, passionais ou por vingança pessoal. “Esse dado é muito importante, porque reflete as prisões importantes que ocorreram nos últimos meses, entre elas a do chefe do tráfico do Pilar e de vários integrantes de sua facção criminosa. E quem não está preso, tem mandado de prisão expedida pelo Poder Judiciário”, ressaltou.

Sidney Tenório destacou ainda a confiança da direção da Polícia Civil em seu trabalho, bem como o apoio irrestrito que vem recebendo do Poder Judiciário, através da juíza Renata Malafaia, e do Ministério Público, pelo promotor Silvio Sampaio, que são ágeis e sensíveis nas representações formalizadas pela Polícia Judiciária.

“Não podemos encerrar sem ressaltar a parceria com a Polícia Militar, cuja sede do 8⁰ Batalhão, comandado pelo major Henrique Jatobá, funciona no CISP (Centro Integrado de Segurança Pública), tipo 2, do Pilar. Há uma integração como pouco vista, onde todos trabalham juntos para combater o crime organizado”, concluiu o delegado.


PC/AL

Nenhum comentário