Últimas notícias

CRÔNICA: Era doce



Quando chegava o fim do mês, para mim era muita alegria. Eu tinha um costume de ao receber a mesada do meu pai, aquele dinheirinho suado que ele me ofertava, dizia à minha mãe que ia fazer a feira.
O interessante é que com R$5,00 comprava biscoito, doces e aproveitava cada centavo desse rico dinheirinho. Eu comia também caixa de chocolate com vontade. Devorava no num dia só.
Naquela época em que nas férias eu ia ao médico e ao dentista, degustar os doces não era nada ruim e nem me preocupava tanto com as incômodas cáries que atormentam muita gente, pois ia ao dentista e cuidava dos meus dentes para depois recomeçar a sessão doce.
Hoje não devoro caixa de chocolate, às vezes como um biscoito, doce uma vez ou outra e mesmo assim tenho umas consequências da falta de cuidado com os dentes quando adulto.
Olhando por este ângulo, talvez quando criança meus dentes eram mais saudáveis mesmo comendo mais doces. 

TEXTO: Val Marks (escritor pilarense)
DATA: 29 de agosto de 2018

Nenhum comentário